A ESPERTEZA É IDIOTA, A SINCERIDADE, INTELIGENTE: para onde queremos ir?

Por Rubens Teixeira*

Quando os formadores de opinião de uma sociedade enganam a população propagando que o “menos esperto” dos corruptos é o maior corrupto e trata com cegueira cínica a corrupção dos maiores corruptos, sendo leniente, complacente ou tolerante com estes, por qualquer que seja o pragmatismo ignorante, ajuda a promover o corrupto “menos esperto” por fazê-la avaliar que ele é menos prejudicial, sejam por que razões forem.

A sociedade precisa valorizar não os menos piores, mais os melhores. Para isso precisa também fazer seu papel de agir de forma correta, sincera e honesta.

O povo sabe o que quer e, se escolher bem ou mal, colherá os frutos disso. A sociedade pode ser simples, mas não é idiota quanto possa alguns formadores de opinião avaliar. O povo pode ser de maioria simples, mas não é bobo. Vamos aguardar os próximos capítulos.

* Rubens Teixeira é secretário de Conservação e Meio Ambiente da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, analista do Banco Central do Brasil, ex-diretor financeiro e administrativo da Transpetro, professor, escritor e palestrante. Doutor em Economiaimage (UFF), mestre em Engenharia Nuclear (IME), pós-graduado em Auditoria e Perícia Contábil (UNESA), engenheiro de fortificação e construção (IME), formado em Direito (UFRJ, aprovado na OAB-RJ), bacharel em Ciências Militares (AMAN). Foi um dos ganhadores do Prêmio Tesouro Nacional com trabalho baseado em sua tese de doutorado intitulado: “A Importância da Credibilidade para o Equilíbrio Fiscal: uma avaliação para o caso brasileiro”. É coautor do best seller “As 25 Leis Bíblicas do Sucesso” e do “DESATANDO O NÓ DO BRASIL: propostas para destravar a economia e travar a corrupção.”

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *